Uncategorized

O que são plantas companheiras e antagônicas?

O que são plantas companheiras e antagônicas?

Gabriela Pastro

Olá, pessoal!

Hoje vamos falar sobre plantas companheiras e antagônicas. Este é um tema pouco conhecido por boa parte dos hortelões iniciantes, mas o seu conhecimento é milenar e é utilizado desde a Antiguidade pelos agricultores.

Plantas companheiras…

Basicamente, são aquelas se ajudam ao serem plantadas no mesmo local. Elas podem se ajudar na melhor ocupação do solo, utilização da água, luz e nutrientes e também na utilização dos seus metabólitos secundários (efeitos alelopáticos). O resultado desta interação são plantas mais bem desenvolvidas e saudáveis.

Plantas antagônicas…

Contrariamente as companheiras, são aquelas que ao interagirem com outras plantas ou alguns animais (como algumas pragas) causam efeito inibitório. Duas plantas podem ser antagônicas se competirem intensamente pelo mesmo recurso (água, nutriente ou luz solar) ou se a presença de uma inibir o crescimento da outra por meio de liberação de substâncias químicas. Por exemplo, pepino e girassol precisam absorver boas quantidades de boro e, se plantadas juntas, acabam competindo, ou seja, não devem ser plantadas juntas.

Alelopatia

A alelopatia é qualquer efeito causado por um organismo (planta ou não) sobre o outro (planta ou não) através da liberação de substâncias químicas, produzidas pelo próprio organismo, no meio ambiente. Estas substâncias alelopáticas podem favorecer ou desfavorecer outras formas de vida.

Em relação às plantas, estas substâncias podem ser liberadas pela decomposição de suas partes, saída de metabólitos secundários pela raiz, lavagem pela chuva ou sereno e liberação de substâncias voláteis. Todas estas substâncias liberadas são conhecidas como metabólitos secundários.

É com base nesta alelopatia que são criados muito dos inseticidas naturais que utilizamos na agricultura orgânica, como o inseticida de tagete (cravo de defunto – Tagetes erecta).

Combinações que deram certo aqui na Sabor de Fazenda:

  • Alecrim, sálvia e tomilho: percebemos que esta combinação vai super bem quando plantadas juntas em um vaso, jardineira ou canteiro. Vejam que nas fotos abaixo o alecrim e sálvia estão bonitos e bem desenvolvidos, já a pimenta está pouco saudável e com as folhas amareladas.
  • Louro e alecrim rasteiro: quando plantados em vasos ou canteiros, eles se dão bem e se fortalecem.
  • Orégano e manjerona: vão muito bem com a maioria das plantas, podemos fazer diversas combinações com uma ou ambas as espécies.
Combinação que dá certo: orégano, alecrim e tomilho ©Sabor de Fazenda

Combinação que dá certo: orégano, alecrim e tomilho ©Sabor de Fazenda

  • Tagete (ou cravo de defunto): pode ser plantada em canteiros ou vasos, juntamente com outras plantas. Ela repele insetos e nematóides presentes no solo.
Tagete ©Sabor de Fazenda

Tagete ©Sabor de Fazenda

Plantas que percebemos que não vão bem quando plantadas com outras: todos os tipos de pimentas (como na foto com a sálvia e o alecrim), salsinhas e mentas.

Pimenta e salsinha quando plantadas conjuntamente com outras espécies se tornam mais suscetíveis às pragas e doenças, elas ficam feias e pouco desenvolvidas. A típica combinação de salsinha e cebolinha no mesmo vaso ou jardineira, geralmente, não dá certo…a salsinha fica baixa, amarelada e pouco saudável…ela é a primeira a morrer.

As mentas não são boas companheiras, se plantadas no mesmo local, acabam ou morrendo ou matando a planta vizinha. Elas têm propriedade repelente devido às substâncias voláteis que liberam no ambiente, porém devem estar presentes isoladamente em nossa horta, ou seja, não podem dividir a terra com outra planta.

Se tiverem interesse de conhecer outros tipos de combinações que podemos fazer em sua horta, indicamos o livro Soil Mates – Companion Planting for Your Vegetable Gardenda Sara Alway.

Soil Mates - Companion Planting for Your Vegetable Garden  ©Sabor de Fazenda

Soil Mates – Companion Planting for Your Vegetable Garden ©Sabor de Fazenda

Este livro mostra e explica de uma maneira simples e ilustrativa quais as combinações que dão certo na horta…

Soil Mates - Companion Planting for Your Vegetable Garden ©Sabor de Fazenda

Soil Mates – Companion Planting for Your Vegetable Garden ©Sabor de Fazenda

Comentário da herborista Sabrina Jeha: “A primeira vez que ouvi falar de plantas companheiras e alelopatia foi pela saudosa herborista e minha mestra das ervas, Maly Caran. Em seus maravilhosos cursos de cultivo e uso das ervas, além de algumas “bruxarias” incríveis como o vinho medicinal com erva doce e rosa branca para melhorar a disposição geral das pessoas, ela também falava da influência da lua, da astrologia e de plantas companheiras na composição da horta. Isto foi na década de 90, no mesmo ano em que conheci o não menos inspirador livro “As Ervas do Sítio” de Rosy Bornhausen que também aborda entre outros temas incríveis, como magia, plantas companheiras, perfumes e aromaterapia. Em todos esses anos, nunca vi um estudo mais aprofundado ou livros que tratam do tema, até que, em uma das exposições do Clube Paulista de Jardinagem, a super jardineira e amiga Graciela nos emprestou seu livro “Soil Mates – Companion Planting for Your Vegetable Garden” (mostrado acima). Um lindo livrinho feito pela design gráfica e jardineira Sara Alway. Os testes com suas indicações já começaram por aqui!!! Agora só fica a expectativa para ver os tomateiros, plantados ao lado de manjericões, produzindo tomates vermelhos, cheirosos e prontinhos para uma deliciosa salada Caprese.”

Este é um tema muito legal, rico e importante para nós, hortelões, portanto o abordaremos mais vezes por aqui. Queremos deixar uma mensagem final de que a escolha da combinação das plantas de teremos em nossa horta é muito importante para o bom desenvolvimento desta. Combinações eficazes ajudam a prevenir doenças e pragas.

Similar Posts